Soro Antiofídico


                          www.trexpets.com.br   Produtos destinados a Herpetofauna.

                          www.zoopets.com.br
 
Informações e cuidados básicos.
.

O soro específico para cada grupo de serpentes peçonhentas brasileiras foi pesquisado e produzido pelo Dr. Vital Brazil, no começo do século XX.

Processo de Extração do Veneno das Serpentes

Serpentino
© Giuseppe Puorto
Técnicos treinados comprimem suavemente com as mãos as glândulas secretoras de toxina localizadas na parte de trás da cabeça da serpente, apoiando as presas dela num recipiente de vidro envolto em gelo e coberto com um filme plástico, que é furado pelas presas.

As serpentes passam por esse processo de extração mensalmente, em lotes da mesma espécie. Após a coleta o veneno é centrifugado, embalado, congelado e estocado. Pode ser usado em pesquisas, e também para a fabricação de soro antiofídico.

 

Processo de Fabricação do Soro Antiofídico

Serpentino
© Giuseppe Puorto
Injeta-se num cavalo pequenas doses de veneno diluído, de um gênero específico de serpente.
Esses cavalos recebem acompanhamento médico-veterinário, e uma alimentação ricamente balanceada.
Após 40 dias retira-se uma amostra de sangue do animal imunizado, e mede-se o teor de anticorpos que o organismo dele produziu para se defender do veneno.
Quando o teor de anticorpos atinge o nível desejado, retira-se 5 litros de sangue do cavalo, após 48 horas mais 5 litros, e de novo 5 litros após mais 48 horas.
 
A parte vermelha do sangue (hemácias) é devolvida ao animal, através de uma técnica desenvolvida no Instituto Butantan (plasmaferese), que reduz os efeitos colaterais provocados pela sangria do animal.

A parte líquida desse sangue, ou plasma, é purificada e concentrada, e o soro anti-ofídico específico assim obtido é submetido a vários testes de controle de qualidade:

  1. atividade biológica - verificação da quantidade de anticorpos produzidos;
2. esterilidade - detecção de eventuais contaminações durante a produção;
3. inocuidade - teste de segurança para o uso humano;
4. pirogênio - detecção da presença dessa substância, que provoca alterações de temperatura nos pacientes;
5. testes físico-químicos.

Tipos de soro antiofídico

Cada tipo de soro antiofídico é produzido através da imunização de animais com o veneno de um grupo específico de serpentes.

O Brasil produz cinco tipos de soro antiofídico, sendo:

  3 monoespecíficos
      soro antielapídico SAEL,
      soro antibotrópico SAB,
      soro anticrotálico SAC (que deve ser utilizado com cautela pois traz inconvenientes clínicos);
  2 biespecíficos
      soro antibotrópico-crotálico SABC,
      soro antibotrópico-laquético SABL

A fabricação do soro SABL se justifica porquê as serpentes que causam acidentes Laquéticos e Botrópicos ocorrem em regiões que se sobrepõem, e as manifestações clínicas desses tipos de acidente são semelhantes.


Soros Antipeçonhentos Liofílizados serão disponibilizados brevemente.
 

Fontes:

  • Site do Instituto Butantan - Museu Biológico
    Giuseppe Puorto
  • Site do IBAMA - RAN


                          www.trexpets.com.br   Produtos destinados a Herpetofauna.

                          www.zoopets.com.br
 
Informações e cuidados básicos.
.